Total de visualizações de página

terça-feira, 23 de maio de 2017

Quanto Mais Eu Trabalho Menos Dinheiro Eu Ganho

.
.

Olá a todos,

R$ 15.700,00.

Se hoje fosse dia de fechamento patrimonial, contando as rendas previstas para a entrada do mês, seria este o número que eu contabilizaria em meu patrimônio: R$ 15.700,00.

Uma hora bem interessante no Plano de Independência Financeira: Os rendimentos passivos, ou seja, aqueles provenientes de aplicações financeiras ou demais rendimentos que meu próprio patrimônio gera ultrapassaram de forma assustadora os rendimentos que eu tenho com meu Salário.

É mais uma notícia espantosa que eu tive, num momento de muito estresse no trabalho, onde decidi simplesmente parar.

Se eu tenho tanta coisa para fazer, vou me dar alguns minutos de descanso, vou fazer o que dá, e seja o que Deus quiser.

Não estou escrevendo muito sobre o meu Trabalho, até queria ter um blog menos pessoal, mas, estes registros que eu faço são importantes e me darão uma visão de como eu estava durante esta longa caminhada rumo à Independência Financeira.

Quanto maior a minha Renda Passiva, maior a vontade de chutar o balde no Trabalho e arrumar um problema: Ter que me reinventar sem emprego, buscar empreender puramente (pois sou um empreendedor parcial: Empreendo em Construção e outras vertentes digitais, mas me mantenho em meu Trabalho).

Não esta sendo muito fácil.

Quanto mais eu cresço, mais pressão, mais reuniões chatas, intermináveis, apresentações para diretor Y, para CEO X, um saco.

Eu não quero ficar criticando meu Trabalho, pois dependo dele e muito do que conquistei veio daqui.

Mas ultimamente esta muito difícil, muita pressão, projetos simultâneos, gente de outros países chatas.

Agendaram reunião comigo amanhã às 04:00. Lógico que não vou participar, pelo menos me deixaram como opcional no convite.

Em Junho, novamente, ficarei uns 10 dias na Europa.

Não estou nem um pouco animado, para ser bem honesto, preferia mil vezes ficar aqui.

Perco dois finais de semana, perco meu futebol de sábado, perco 1 semana de natação e academia, perco o convívio com a família.

Em contrapartida ganho 1 semana num país civilizado, onde podemos andar com o celular e carteira às 23:00 da noite sem estar morrendo de medo de ter uma arma apontada na cabeça e ouvir a frase “Perdeu, perdeu, perdeu playboy”.

R$ 15.700,00.

É este número que eu preciso lembrar.

O que eu, com toda a minha ignorância e burrice, conseguiu gerar neste mês, que ainda nem fechou, talvez eu consiga, quem sabe, chegar a R$ 16.000,00 ... Depende da reestruturação que estou fazendo aos poucos nos Projetos Digitais.

.
.

O projeto Blog Viver de Construção eu desisti, sinceramente.

Ficar ganhando 1, 2 dólares por dia nos dias de pico é muito pouco pelo trabalho que dá postar, revisar.

A ideia de migrar para Wordpress (concordo que isto aumentaria a renda, talvez, escrevendo posts melhores, um site com domínio próprio), mas, sinceramente, entre ganhar 10 Dólares por dia com blog, eu prefiro ganhar meus R$ 30,00 nos Projetos Digitais.

Acredito eu que, apesar de ter uma queda de Patrimônio, afinal, acabo de girá-lo vendendo a última casa construída e pagarei o preço do giro (corretagem + impostos), a tendência é um aumento de renda passiva.

Não sei até quando conseguirei manter o pé no acelerador para manter a renda alta desta forma.

Pode até ser mixaria para alguns, mas, R$ 15.700,00 líquidos num mês, pra mim é um número absurdo, inimaginável.

Fruto de quem? Juros Compostos ...

Quando atingi R$ 10.000,00 foi uma alegria ...

R$ 11.000,00 ...

R$ 13.000,00, algo que até hoje acho alto pra caramba.

E neste mês: Quase 16.000,00 até o momento.

Uma coisa eu sei: O caminho dos blogueiros que atingiram a marca de 1 milhão foi esta mesmo, ou seja, aportes altos e tempo. Continuaram seguindo a estratégia deles, independente do que ocorreu, salvo um deles que migrou a estratégia para o Tesouro Direto, que foi o certo para ele.

Posso dizer que agora estou tendo um aporte alto, uma renda muito boa, sem dívidas, então preciso me lembrar disto.

O último post que deu na cabeça de publicar seria algo como “Meu dinheiro não vale nada”.

Se pensarmos bem, 1 milhão hoje em dia não é muita coisa assim, ainda mais pra mim que inclui o imóvel próprio e carro neste valor.

Por que eu digo isto: Se eu quiser trocar meu apartamento num top de linha, sei lá, 600 mil: Eu já reduziria uns 350K no meu “milhão” imaginário.

Aí decido comprar uma Hilux pra combinar com o apartamento novo e chique: Menos 100K ... Comprando usada.

Já voltei pra metade do milhão ...

Eu não sei o que vou fazer da minha vida após esta última venda de imóvel.

Meu lado empreendedor pensa em arriscar: Hora de construir um prédio de 4 andares, simples, 2 quartos, 1 banheiro, e começar um nível novo na construção.

Fazer isto sozinho é quase um suicídio financeiro.

A maioria faz com parcerias ...

E talvez eu tenha um possível parceiro: Ele entra com o lote, sendo o valor do lote um percentual.

Eu construo.

Checamos quanto cada um gastou (ele com lote, eu com a construção completa).

Definimos o % e após vendendo cada unidade, cada um retira sua parte.

Exemplo: 70% do custo foi meu, 70% do lucro é meu. O restante é dele.

Mas, não sei se é hora. Ter “parceiro” não é muito minha praia, literalmente, prefiro ir sozinho mesmo.

Talvez manter este dinheiro aplicado em TD Selic (possivelmente farei isto no início, ou mesmo uns 2, 3  meses em Poupança pra eu ganhar rendimento e pensar).


Só não sei se voltarei a construir, e se voltar, quando ...

As coisas tem melhorado, mas gerenciar uma  obra nesta altura do campeonato, com minha vida profissional toda bagunçada, será bem difícil ...

.
.

Quanto mais eu Trabalho, menos tempo eu tenho para viver e ganhar dinheiro ...


Um abraço a todos

VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO
.
.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Sobrevivi ao Circuit Breaker da Bolsa de Valores - "Perda" Mínima e Oportunidade nos Fundos Imobiliários

.
.

Olá amigos,

Como sempre, devendo respostas nos posts anteriores (responderei a medida que tiver tempo e agradeço a participação de sempre).

Eu quero falar algo rápido baseado nesta imagem aqui:


Não analisei Fundamentos da Cemig (CMIG4) para dizer se é uma boa empresa ou não, mas, ela foi uma ação que me chamou a atenção com a queda vertiginosa de 43%, na mínima de ontem (fechou com queda de uns 20%).

Que me perdoe quem discorda, mas, a Metodologia Bastter para o histórico Circuit Breaker de ontem, mais uma vez provou ser a melhor a melhor amiga do pequeno investidor.

Quem seguiu os seus conselhos (e os meus inclusive), não fez nada na bolsa de valores.

Em dias assim não é bom vender nada, e muito menos fazer ‘trade’.

Se eu tivesse dinheiro ontem, teria feito a festa (isto me mostra a importância de ter uma reserva líquida aplicada para este acontecimentos).

O que eu fiz? Foquei no meu Trabalho! Não tenho nada a fazer, sigo comprado e feliz com meus Fundos Imobiliários.

Comecei o dia tomando uma benga enorme de prejuízo, acho que chegou a uns R$ 14.000,00 na manhã.

Mas, após, o mercado ficou menos volátil e acabei fechando com perdas estimadas em R$ 5.800,00.

O meu título ontem foi um pouco apelativo, meio que uma brincadeira mesmo.

Neste momento, olhei rapidamente, e este “prejuízo virtual” já foi reduzido para uns R$ 3.800,00 a R$ 4.200,00.

Ou seja, menos de um mês de aporte ...

Ou dois meses de rendimentos e mais um pouco ...

Por que este “prejuízo virtual” não afeta em nada?

.
.

Os prédios continuam de pé.

Os juros continuam sendo pagos.

E a renda continua sendo creditada em minha conta mensalmente.

A mensagem mais importante é: Não importa se eu tenho 200 mil ou 300 mil em Fundos Imobiliários.

O que importa é a renda passiva que eles nos repassam.

O que você preferiria?

Ter 300 Mil em Fundos Imobiliários, com renda de R$ 2.400,00 mensais.

Ou ter 270 mil em Fundos Imobiliários, com renda de R$ 3.100,00?

Eu preferiria a segunda opção, pois meu foco é: Renda Passiva.

É a Renda Passiva que me possibilitará trabalhar exclusivamente com Construção.

Um Salve ao Bastter e time, um professor para os pequenos investidores ... O gráfico esta aí.

.
.


 Um abraço,

VDC – VIVER DE CALMARIA

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Circuit Break na Bolsa: Perdi Muito Dinheiro! Não Sou Mais Milionário ...

.
.

Jesus amado …

Circuit Break na bolsa! Primeira vez que vejo.


Em 2008 eu não acompanhava, nem sabia o que era bolsa de valores.

Última vez que vi IFIX caindo tanto foi no dia negro dos FIIs, em Dezembro de 2015.

.
.

O que mais me deixa triste neste momento: Eu não tenho dinheiro para comprar nada hoje!

Hoje seria o dia ideal de realizar compras, pois, daria para fechar toda a minha lista de desejos nos Fundos Imobiliários pagando bem menos.

Eu sou bobo, mas nem tanto. O preço com um desconto tão grande facilitaria demais aumentar minha posição.

Às 09:55 eu até abri o Home Broker: Admirei pela última vez o valor em Fundos Imobiliários que eu tinha ...

Após a abertura, sangue e muita correria na ponta vendedora: Gente entregando cotas a qualquer preço ...

Fundos Imobiliários tem menor liquidez, logo, não caem, desabam.

Agora o que mais me estranha é: Por mais que haja esta bagunça política, os prédios continuam de pé. Os CRI’s continuam pendentes para pagamento. Os aluguéis em contrato continuam mantido.

A renda prevista para o mês próximo será a mesma, mesmo com este evento catastrófico ...

E mesmo assim investidores vendem cotas a qualquer preço.

É por isto que dizemos que o mercado é irracional. Não dá para entender o que se passa na cabeça das pessoas que participam da bolsa de valores.

É um sentimento de bando, de manada mesmo: “É hora de vender”. Aí todo mundo vende a qualquer preço.

Bom, minha expectativa hoje é tomar 10% de prejuízo, tá bom demais, a renda permanece mantida para o mês que vem. Até o momento já foi 4,5% ...

Quanto maior o coqueiro, maior o tombo ...

ÊEEEE Saudade de ter só R$ 30.000,00 aplicados na bolsa ...

Um abraço e fujam para as colinas amigos!

A queda foi tão forte que até eu criei postagem no horário de trabalho!

Circuit Break Brasil 18 de Maio de 2017! Eu participei!


Sobre o final e título da postagem: O importante é o aumento da renda passiva. Ter 50K a mais ou a menos no patrimônio independe para quem viver da renda passiva dos investimentos já aplicados!

.
.

VDP – VIVER DE PÂNICO (risos).

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Comprar ou Construir Imóveis : Matrícula de Imóvel, Averbação de Construção, Desmembramento de Lote / Matrícula - Entenda

.
.

Pessoal,

Como eu mesmo “tomei toca”, “vacilei” num requisito simples em uma das minhas construções, resolvi postar esta pesquisa completa aqui, bem detalhada, para servir de base.

Para quem pensa em se aventurar no mundo de Imóveis, conhecer estes detalhes é de suma importância.

Meu maior erro na conclusão de um dos processos das últimas obras vendidas foi não ter feito o desmembramento das matrículas das duas casas geminadas, ou seja, eu tinha uma Matrícula única contendo as duas casas.

Para a venda do imóvel financiado pela Caixa, é obrigatório desmembrar as matrículas, ou seja, prover uma matrícula única para cada imóvel. Sem isto, sem venda financiada.

Este vacilo me custou uns 21 dias de dor de cabeça, pra providenciar todos os documentos, fora as idas e vindas do cartório, que fica em outra cidade diferente da minha (custo, tempo, encheção de saco).

E pior: Isto atrasou 21 dias no recebimento do dinheiro da venda pela Caixa, visto que somente após regularizar a matrícula individualizada, o processo de financiamento do comprador se seguiu.


Vamos ao detalhamento:

O Cartório de Registro de Imóveis, possui grande importância para qualquer cidadão que queira comprar ou vender um imóvel.

Todas as pessoas que compram um imóvel, devem registrar suas escrituras no Cartório de Registro de Imóveis da região onde o imóvel se situa.

Somente o registro garante o direito de propriedade do imóvel adquirido. Assim, nos Cartórios de Registro de Imóveis, os cidadãos podem conseguir informações verdadeiras e seguras sobre a situação real de qualquer imóvel, sejam elas referentes a regularidade da propriedade ou sobre eventuais ônus que estejam sobre ela incidindo (alienações, hipotecas, penhoras, etc.…).

Cada imóvel possui um número de Matrícula no Cartório de Registro de Imóveis onde está registrado.

.
.

É nesta Matrícula que estão lançadas todas as informações sobre ele apresentadas para registro, envolvendo aquelas acima já citadas, relativas a propriedade e a eventuais ônus sobre ele incidentes e também seus dados cadastrais, desde a origem do terreno (descrição, confrontações e dimensões), passando, quando for o caso, pelas benfeitorias nele construídas e pela averbação do Habite-se da construção nele realizada, pelos nomes e pela identificação de todas as pessoas que o compraram ao longo do tempo, até os dos atuais proprietários.

 

Vamos entender um pouco mais sobre as Matrículas:


Como vimos, cada imóvel possui um nº de Matrícula, individualizada no Cartório de Registro de Imóveis de sua localidade, onde está perfeitamente descrito e caracterizado, seja ele uma grande gleba de terreno, um lote, uma casa, um apartamento, uma loja ou uma sala de escritório.

Em determinados casos, as Matrículas se sucedem.

É o caso, por exemplo, de uma grande gleba de terreno, onde o proprietário nela  promove  um desmembramento, dividindo-a em áreas menores.

Neste caso, a grande gleba possui uma Matrícula e as áreas ou lotes menores dela decorrentes, possuirão, cada um deles, uma nova Matrícula, pois tornaram-se novos imóveis, com características e dimensões próprias e portanto, perfeitamente individualizados. Nestas novas matrículas, abertas para estes novos lotes desmembrados, estará informada o nº da matrícula da gleba que lhes deu origem e demais informações pertinentes, de sorte a que os interessados possam consultá-la, quando necessário.

O mesmo ocorre, quando da realização, em um determinado lote de terreno, de um empreendimento imobiliário, seja um loteamento, um condomínio horizontal ou vertical. Ou seja, o lote, como um imóvel individualizado, possui a sua matrícula, onde consta, como dito, sua origem, dimensões, confrontações e área. Concluído o empreendimento e obtida a aceitação ou Habite-se por parte da Prefeitura, passou-se a ter, naquele lote, um conjunto de unidades e não mais somente um lote. Assim, o Oficial do Cartório de Registro de Imóveis providencia, na matrícula do lote, o registro da citada aceitação ou da averbação do Habite-se da construção e em seguida, abrirá uma Matrícula para cada unidade que compõe o empreendimento realizado, pois, cada uma destas unidades passou a ser um imóvel individualizado, perfeitamente descrito e caracterizado, onde, em suas Matrículas, estará informada, a matrícula do lote que lhe deu origem, a aceitação do loteamento ou a averbação da construção e demais informações pertinentes, para consulta dos interessados.



.
.


Falaremos agora, da averbação da construção:


Para uma construção ser realizada em um lote de terreno é previamente necessário que se aprove um projeto na Prefeitura de sua localidade e posteriormente, quando de sua conclusão, que se obtenha o Habite-se da construção realizada e registrando-o no Cartório de Registro de Imóveis  local.

A este procedimento de registro do Habite-se no Cartório de Registro de Imóveis local é o que chamamos de "Averbação da Construção".

A averbação da construção é fundamental, pois somente através dela é que passaremos a ter o imóvel construído individualizado, perfeitamente descrito e caracterizado na sua matrícula.

Juridicamente, o imóvel só passará a existir, quando da averbação de sua construção, até lá, o que existe, para todos os efeitos legais será somente o lote de terreno.

Imóveis fisicamente construídos, que não possuam Habite-se ou que não tenham a sua construção averbada, podem representar um risco muito grande para quem o está comprando.

É provável que tenham sido erguidos sem a existência de um projeto previamente aprovado e em desacordo com as posturas municipais locais ou ainda em desacordo com o projeto que tenha sido aprovado, como também poderá representar a existência de dívidas para com o INSS e/ou para com o ISS, impostos estes decorrentes da construção executada e não recolhidos, em parte ou em sua totalidade.

.
.

A existência da construção devidamente averbada (registrada) no Cartório de Registro de Imóveis  é, portanto, de grande importância para a realização de uma compra ou venda segura de um imóvel.

Um abraço

.
.

VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO

domingo, 14 de maio de 2017

Próximos Passos Após Vender Imóvel: Como Funciona e Onde Aplicarei?

.
.

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Contando um pouco da história de Construtor, para quem quer entrar no meio.

O blog vai andar meio capenga, como disse esta mais para o encerramento, pois meu tempo esta curto, tenho projetos e metas ambiciosas no Projeto Trabalho e manterei firme e forte o Projeto Saúde, logo, tive que abrir mão do Projeto Blog.

Quando der vontade, como hoje, postarei algo.

Explicar um pouco, em poucas palavras, como funciona o processo após a venda de um imóvel.



Basicamente, você entra em contato com algumas imobiliárias, que vão ofertar o seu imóvel em seus respectivos sites e mídias sociais.

Toda imobiliária, logicamente, lhe cobrará um percentual do valor do imóvel como corretagem, ou seja, o trabalho de divulgação até a venda terá um preço, pago na confirmação da venda.

Como citei em posts anteriores, realizei a última venda do imóvel da minha obra anterior, logo, estarei 100% líquido para pensar no próximo empreendimento (e pra ser sincero estou pensando bastante se vou construir novamente, pois, apesar de gostar bastante do ramo, conciliar com meu atual cargo no Trabalho e arrumar pessoas de confiança para tomar conta e trabalhar lá, bem como reiniciar todos os trâmites, me desanimam bastante).

De qualquer forma, reafirmo que Construção para mim bate todos os demais investimentos que tenho. Acredito que apenas compra de imóveis penhorados tenha um percentual maior, até pelo maior risco envolvido.

.
.

Mesmo tendo que reduzir o preço pra vender (e nesta última venda eu realmente não consegui ganhar nem R$ 1.000,00 da oferta do comprador – Ele fez uma oferta abaixo do meu preço, tentei negociar, mas não consegui subir nem mesmo este valor – Paciência – O momento é do comprador), ainda tive um lucro muito bom a ser considerado no Patrimônio. Ps.: Não me perguntem quanto e nem o percentual, pois não revelarei.

Pois bem, voltando ao tema:

Um corretor muito bom me ligou, levou alguns clientes, e um deles fez a oferta. Fechamos negócio.

Os trâmites para a assinatura do Termo de Compra e Venda demoraram uma semana. Eu não pedi sinal na negociação, receberei o montante completo através do financiamento bancário que o comprador fará pela Caixa Econômica. Melhor explicando, o sinal já ficará com a imobiliária, pagando a corretagem, digamos assim.

Estou me tornando um construtor mais profissional, logo, até para evitar problemas, eu não quero contato algum com o comprador das minhas casas. Como houve um corretor intermediando, já alinhei com o corretor para que o comprador não tenha meu telefone e que se precisar de qualquer coisa, que entre em contato com a imobiliária, e eles me contatam.

O comprador até pediu para "trocarmos contatos", mas educadamente eu saí fora ... Não quero contato nenhum mesmo.

Já tive problemas com outros compradores, pois, eles acham que nós construtores somos ricos com as nossas grandes empresas, logo, deslocar um bombeiro, um eletricista, ou qualquer outro profissional eles acham que é super simples e sem problemas. Ledo engano.

Logicamente damos garantia de 5 anos na casa (estrutural), mas, deixar que o comprador tenha seu contato significa que, se uma lâmpada queimar, ele vai te ligar ... E não é isto que eu quero mais.

A reunião de assinatura do contrato se deu na própria imobiliária, onde fiquei conhecendo o comprador.

Não fiz muita questão de ser conversador como sempre sou, ou seja, me mantive ali como profissional, num acordo profissional entre duas partes, e não um acordo de compadres.

Lemos o contrato, estipulamos as últimas cláusulas contratuais, imprimimos, cada um leu, rubricou cada folha e assinou ao final.

Negócio fechado! Agora, se desistir, tem que pagar multa de 10% do valor do imóvel fora algumas outras coisas. Do lado do comprador e do vendedor, logo, já considero a última casa vendida, e terei que alertar às demais imobiliárias para retirarem os anúncios.

É impressionante que em toda reunião de venda de imóveis, o comprador tenta passar a imagem de que é cheio da grana e rico, bem de vida. Eu não entendo esta mania de querer impressionar o vendedor da casa e a imobiliária ... Sei lá o que se passa na cabeça destas pessoas.

Financiando 100% do imóvel, não é bem assim né meu filho, mas pra mim pouco importa se vai pagar à vista ou financiado, desde que eu receba o montante total.

Bem, após assinatura do contrato, o que acontece agora é: Entra em cena a figura do despachante da Caixa Econômica Federal, que intermediará e controlará a entrega da papelada completa para que o financiamento em nome do comprador seja aprovado.

Do meu lado, deverei fornecer alguns documentos da obra, incluindo o Memorial Descritivo, que basicamente especifica os principais materiais do imóvel (portas, janelas, revestimentos, etc.). Tudo isto é feito pelo engenheiro que assina as minhas obras, e já nesta semana desembolsarei o valor desta atividade.

.
.

Outros documentos que proverei são relacionados ao cartório, como certidões negativas, e outras. Isto tudo a imobiliária providencia para mim, eu só pago o valor do cartório a eles.

Haverá também a visita de um engenheiro da Caixa Econômica Federal na última casa, para confirmar que o imóvel esta condizente com os valores a serem financiados. É algo simples, nunca tive problemas aqui, pois sigo rigorosamente o projeto, normas e demais trâmites de aprovação de projetos e construção (só um tapado acha que basta fazer um barraco de qualquer jeito que aceitará financiamento, o negócio é bem rigoroso e complicado, mas, quem acha uma bobeira destas nunca terá condição de construir nem um barraco mesmo).

Com todos estes trâmites, a expectativa é que eu veja a cor do dinheiro entre 45 a 60 dias.

Na minha última venda financiada pela Caixa, foram exatos 3 meses e 14 dias (processo foi extremamente lento e tudo que poderia dar erro, deu, inclusive com mudanças de documentos, certidão que venceu – período 30 dias, etc.). Foi complicado.

Bom, é isto aí: Daqui há uns 45 a 60 dias eu recebo uma bolada em minha conta bancária da Caixa Econômica Federal, e pensarei como irei usar este novo valor.

Fundos Imobiliários?

Novo lote e construção? Prédio? Casa Geminada?

.
.

Não sei ...

Terei bastante tempo para pensar sobre o assunto ... Na dúvida? TD Selic na veia!

Abração

.
.

VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Minha Casa Minha Vida: Posso Vender Meu Imóvel?

.
.

Minha Casa Minha Vida: Posso vender meu imóvel?


.
.

 Em cinco anos, o programa Minha Casa Minha Vida já entregou 1,7 milhão de unidades em todo o Brasil.

O governo vem tomando uma série de providências para evitar que haja irregularidades com os imóveis do programa Minha Casa Minha Vida, que já beneficiou 1,7 milhão de famílias.

Além de visitas aos empreendimentos para verificar se o imóvel está sendo ocupado regularmente, a Caixa Econômica Federal deve fechar acordo com o Conselho Federal de Corretores de Imóveis (COFECI) para fiscalizar a comercialização de imóveis do programa.

Em entrevista à Agência CAIXA de Notícias, o diretor de Habitação da CAIXA, Teotônio Rezende, esclarece as principais dúvidas dos beneficiários sobre o direito de propriedade no Minha Casa Minha Vida. 

Teotônio fala também sobre a atuação da CAIXA na fiscalização e sobre os procedimentos que devem ser seguidos no caso de irregularidades.

O beneficiário do Programa Minha Casa Minha Vida pode vender o imóvel?

Os beneficiários que têm rendimentos mensais até R$ 1.600, ou seja, aqueles considerados da Faixa I do Programa, não podem comercializar ou alugar a residência antes de terminar o prazo do financiamento, que é de 10 anos. No caso das Faixas 2 e 3, por se tratar de operações de mercado, nada impede que logo em seguida à assinatura do contrato de financiamento, o adquirente venda o imóvel.


Se o beneficiário da Faixa I do Programa quitar o financiamento antes dos 10 anos, ele pode vender o imóvel?

 A lei 11.977/2009  prevê a quitação do imóvel a qualquer tempo, a partir da assinatura do contrato. Por exemplo, se o valor do imóvel foi de R$ 76 mil e o beneficiário pagou 100 prestações de R$ 30 e pretende liquidar, deverá pagar R$ 73 mil, com os devidos ajustes da atualização monetária. Para que não fique caracterizada nenhuma irregularidade, antes de anunciar o imóvel à venda, o beneficiário deverá proceder à quitação do financiamento.

. .


Existe alguma punição prevista para o beneficiário da Faixa I que tenta vender o imóvel antes dos 10 anos?

Caso oferte o imóvel à venda ou para aluguel, antes da quitação da dívida, ou ainda se firmar "contrato de gaveta", estará caracterizada a irregularidade. Neste caso, a CAIXA pode pedir na Justiça a retomada do imóvel. É importante destacar que, durante o curso da ação de retomada do imóvel e antes de sua consumação, o beneficiário pode quitar a dívida pelo seu valor integral e, assim, evitar a perda do imóvel.

O que é contrato de gaveta?

 Contratos de gaveta são acordos particulares realizados entre o comprador e o vendedor, sem a participação e consentimento da instituição financeira responsável pelo financiamento.

O beneficiário da Faixa I, que vendeu legalmente seu imóvel, poderá participar do Programa novamente?

 Não. Cada cidadão brasileiro, que se enquadra nos critérios da Faixa I, pode participar apenas uma vez do Programa.

Quando a CAIXA deve adotar alguma ação para coibir a venda ou o aluguel de imóveis inseridos na Faixa 1?

 A CAIXA tem atuação direta na análise da ocupação dos imóveis, que ocorre logo em seguida à entrega do empreendimento. Nesta fase, a CAIXA verifica se todos os imóveis estão ocupados pelos legítimos beneficiários. O banco também atua quando recebe alguma denúncia de irregularidades.

O que a CAIXA faz para evitar a venda ilegal ou aluguel dos imóveis?

Regularmente, empregados da CAIXA fazem visitas aos empreendimentos para verificar se quem está ocupando o imóvel é quem foi originalmente beneficiado. A CAIXA está, ainda, finalizando acordo com o Conselho Federal de Corretores de Imóveis, o COFECI. 

Por meio dos CRECI Regionais, ele poderá fiscalizar as comercializações de imóveis do Programa na Faixa 1 feitas pelos Corretores de Imóveis ou de Imobiliárias e adotar as penalidades legais para estes profissionais quando for identificado operação ilegal.

Se o beneficiário tiver alguma dúvida sobre o Programa, quem ele deve procurar?

O banco criou um canal de comunicação com os clientes do Minha Casa Minha Vida para denúncias, reclamações e elogios, por meio do telefone 0800-721-6268. Além disso, os beneficiários podem procurar as agências da CAIXA que estão espalhadas em todo o território nacional.

.
.


.
.

VDC - VIVER DE CONSTRUÇÃO

terça-feira, 9 de maio de 2017

Mudança do Blog - Rumo ao Encerramento

.
.

Olá a todos,

A explicação desta foto estará lá embaixo, mas já vou colocar ela aqui em cima.


A minha contribuição durante todo este tempo esta dada, e o legado permanecerá aqui.

Não acho que serei um blogueiro que alguém no futuro dirá: “Nossa, você lembra do Viver de Construção, ele falava sobre isto, aquilo, etc.”. Meu blog e nem eu são lá grandes coisas, eu tenho muitos acessos pois escrevo muito, muita gente acha as postagens no Google, nos blogs dos demais colegas (que agradeço enormemente terem me adicionado no blogroll e acompanhado este trabalho singelo, mas de coração).

.
.

Eu quero ter tempo, e o blog vem sendo um empecilho para meu tempo.

Escrevi duas postagens sobre ter Tempo.

Eu não tenho tempo para ver TV. Não tenho tempo para assistir uma série na Netflix. Mal tenho tempo para ler um livro.

Mas, não posso tirar o Tempo que dedico a treinar na academia e nadar! É investimento em Saúde e tenho que me cuidar.

Acho que o tempo destinado valeu a pena: Aprendi muito sobre Fundos Imobiliários, repensei vários conceitos, e a minha Renda Passiva cresceu bastante.

Não quero mais, neste momento, falar sobre a minha vida. Acho que já falei até demais.

Encerro meus trabalhos num momento de muita paz aqui no blog. Eu nem lembro o último xingamento recebido, pra ser sincero.

Ainda terei mais postagens, principalmente sobre Construção, mas, para ser bem honesto, o único intuito é receber meus últimos $ 10,00 para receber o último cheque do Google. Vou postando este mês até atingir este valor, se não atingir, eu criarei um post ou outro, pois só no outro mês receberei mesmo, então de 0,20 em 0,20 centavos de dólar por dia no outro mês eu recebo.

Infelizmente meu blog funciona assim: Só gera $ 1,00 se eu crio postagens diárias, não sei explicar o motivo, logo, no mínimo mais 10 postagens ainda teremos, mas escreverei sobre temas diversos, não mais sobre minha vida, especificamente falando.

FALTAM MENOS DE $ 10,00 NESTE MÊS!
Se eu volto com mais postagens? Talvez. Depende do momento. Como fez o colega Corey, se ele tiver vontade de postar, ele volta. Acho que comigo será o mesmo, apesar que nos próximos dias ainda estarei postando, mas assuntos diversos, sem ser algo intrínseco de minha pessoa ou de meu pensamento, digamos assim. Apenas informação. Nada mais.

Ao amigo Viver de Dividendos, quase que eu comecei a gravar os vídeos ... Talvez daqui uns dias eu anime de novo, vamos ver.

Não tenho tempo e nem sei. Só quero dar um descanso com o blog mesmo, colocar minha cabeça tranquila, sem compromissos.

.
.

Pensar menos em dinheiro de blog. Querendo ou não, o fato de receber uma receita pequena te coloca como uma obrigação criar postagens. E, vamos ser sinceros, que mixaria eu ganho com isto aqui? R$ 3,00, R$ 6,00 por dia ... Se eu gastasse o tempo que fico aqui no blog (criando postagens, respondendo comentários, comentando no blog dos amigos) diretamente em meus Projetos Digitais, eu estaria faturando bem mais do que isto.

Nem que seja para estudar inglês ou uma segunda língua. Eu preciso disto agora.

Nem os 10 dólares, 20 dólares diários me parecem tão animadores, pois, os Projetos Digitais já me geraram muita grana, muito mais do que isto, mas, a concorrência acirrada, minha falta de tempo devido ao Trabalho, prejudicam a minha vida financeira.

É até engraçado dizer que meu Trabalho atrapalha a minha renda.

E ainda tem blogueiro idiota que acha que eu tenho tempo de ficar postando em vários blogs como anônimo ... Quem me dera se eu tivesse tempo livre. Só sendo um doente depressivo pra achar isto.

Tomei um baque nos Projetos Digitais, terei que recriar tudo, infelizmente há muita gente ruim nesta droga de mundo. Mas, eu caio, mas levanto novamente. Justamente quando começou a gerar uma grana interessante, levo naba! Não tem jeito, é recomeçar minha empresa digital e ver no que vai dar. Eu tive algo similar ano passado, concorrência desleal, e tive que me reinventar. Agora não sei se vou conseguir, vou esfriar a cabeça, pensar uns dias aí, e depois eu vejo o que faço.

Sobre o Blog:

Graças a Deus pensei muito bem antes de fazer o investimento que eu faria, pois eu migraria para o Wordpress. Daria muito trabalho, e tiraria ainda mais do meu escasso tempo. E eu não consigo terceirizar isto. Imagina chegar em algum desenvolvedor conhecido e pedir pra fazer isto? Não dá. Ninguém precisa saber o quanto de patrimônio eu tenho.

Eu não quero ter que ficar enganando os leitores com títulos apelativos, famosos “click baits”. Não quero ... E é só assim que o Google dá valor parece. Por isto que desisti desta porcaria.

Fato é: Eu queria crescer na minha carreira, venho conseguindo crescer em responsabilidades, mas, salário alto que é bom, nada. Não vou comemorar por estar empregado em tempos de crise, isto é para os fracos, eu gero resultados excelentes e se não fosse esta sujeira, este mar de intrigas e este jogo político eu já deveria ter sido promovido na frente de muitos outros.

Outro motivo para dar uma parada no blog: Eu vou acabar me tornando um blog melancólico e de tristeza, pois nem meu positivismo tem conseguido se manter firme diante de tanta pressão que sofro. Estou numa fase muito complicada, muita gente contando comigo, e eu preciso me dedicar mais ao meu Trabalho, nem que seja para ser demitido depois. Se me confiaram um projeto tão grande e de alta importância, cabe a mim dar o meu máximo e conseguir entrega-lo, e o blog tem me tirado do caminho.

Trabalho:

Já chorei as pitangas aí, e finalmente eu entendi o que Pobre Catarrento disse uma vez. Eu achava ele um chorão, cara com a vida feita, milionário, ganhando bem pra caramba, e no final das contas ele só queria uma coisa: Ter tempo livre.

.
.

E agora eu estou na mesma: Cresci na carreira, tenho que participar de um monte de reunião, aguentar encheção de saco e piadas sem graça de gente de outro país, ter que me segurar pra não falar verdades com algumas pessoas, e ter que chegar cedo e ir embora tarde, preparar apresentação final de semana, de noite, responder e-mail 24 horas, diretor isto, diretor aquilo, e bla bla bla.

Que porra é este de crescimento? Eu quero crescer em Salário, não ficar no meio destes caras que ganham dinheiro pra caramba e eu lá no meio, o que menos ganha e o que mais trabalha.

Tudo bem, os caras são fodas, estudaram no exterior, falam inglês e outras línguas, mas, e daí? Cadê o tempo livre?

Estes caras vão pescar? Jogam futebol? Vão na academia? Ficam em casa com a família? Se divertem em churrascos?

Não.

É só Trabalho, trabalho.

Cada um que você vê é mais pica grossa (expressão para referenciar os chefes dos chefes) que o outro.

Cada um destes sempre pensando em seus colaboradores fazerem algo legal para mostrar para os chefes e assumirem o lugar destes chefes.

Tive reunião com a mais alta patente hoje, e no final eu me pergunto: E daí?

Tá, aprendi com os caras, vi como que é, mas, e o tempo livre? E a pescaria? E o acordar a qualquer hora do dia? E o ficar o dia inteiro nadando sem nada pra fazer?

Não tem.

Se eu continuar neste ritmo e ter sorte, vou ser mais um engomadinho engravatado enfurnado no escritório.

E daí, vou ficar postergando a independência financeira até quando? Até aparecer uma doença grave? Até eu ser assaltado e ser vítima de latrocínio nesta pocilga chamada Brasil?

Ah, lembrei: Fora o fato de contratar "Startups" agora, ou seja, os caras que faturam milhões com as ideias e eu gerenciando ganhando nem 1/10 do faturamento deles.

Construção:

Estou líquido ... Vendi a última casa, na semana passada, agora é questão de tempo para receber o dinheiro total pela Caixa Econômica.

Evidente que tive que reduzir o meu preço para o comprador chorão, mas vendi e agora parto para outra. Antes ganhar um pouco menos e girar seu negócio do que ficar parado esperando e esperando.

Estou com vontade de construir novamente, mas, nem eu sei. Dependendo jogo este dinheiro todo nos Fundos Imobiliários e seja o que Deus quiser, eu vou aumentar a minha renda fodasticamente se fizer isto.

Ps.: Vejo a crise imobiliária passando ... Como foi em 2008! 

Ou ... Continuo correndo aí, mais 2, 3 anos, pra juntar mais grana, e finalmente ligar o foda-se e pedir demissão, e usar o FGTS pra completar a renda e finalmente VIVER DE CONSTRUÇÃO.

Mais 3 obras com 3 vendas, e acho que atinjo meus objetivos.

Fato é: Este blog agora falará mais de Construção e do que eu estiver pesquisando mesmo.

.
.

Talvez amanhã eu mude de ideia, e volte a postar sobre meu cotidiano, normalmente.

Mas, estou de saco cheio, e não quero manter este compromisso diário.

Sem Projetos Digitais e sem Blog, eu arrisco a dizer que meu dia ganha 2:30, no mínimo ...

Eu quero ser rico para ter Tempo, mas, mesmo ainda na metade do caminho, eu posso ser um pouco rico criando mais tempo para mim mesmo.

Até a próxima postagem, já nos novos moldes do blog! Para fechar estes $ 10,00!

Abração

.
.

VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO

Pesquisar no Blog ...

Postagens Populares