Total de visualizações de página

sábado, 23 de abril de 2016

Tesouro Direto (TD) ou Fundos Imobiliários (FIIs): A Escolha para um Super Aporte Inesperado ...



Boa tarde Senhores do Milhão. A Luta Continua!


Quem acompanha meu blog já deve ter percebido a minha afinidade com o ramo imobiliário, e deve estar se perguntando: “Não seria este o blog que mostraria os passos para Viver de Construção”?

Calma, vocês estão corretos! Voltando um pouco na explicação da estratégia para mantermos o rumo nos anos que virão a frente (se Deus quiser):

a)      Ter o capital necessário para a compra de um lote e construção de duas casas para a venda. Status: Objetivo concluído.

b)      Aumentar gradativamente a renda passiva, de forma que os períodos entre a finalização de uma obra e a venda das unidades seja coberto por esta renda. Status: Em curso.

Uma marca do meu blog, além da frase “A Luta Continua”, os “Abraços” que sempre envio ao final dos comentários, também posso dizer que são os “Longos Textos” rsrs.

Antecipadamente, peço desculpas aos leitores que gostariam de ter posts sintetizados, sinceramente eu preciso de espaço e tempo para escrever as minhas ideias e passa-las de uma forma que lhes auxilie a pensar nos seus investimentos, e claro, criticar os meus (investimentos).

O objetivo é tornar os blogs de finanças um local para a troca de ideias e ajuda mútua dos blogueiros e leitores na luta rumo a IF ...

Não consigo mesmo sintetizar o que farei, sem tentar passar esta mensagem a quem lê o blog, sendo estes posts grandes uma marca do blog Viver de Construção (usem a dica do nosso amigo Economicamente Incorreto, lendo na Diagonal, um abraço ao EI).

No momento, estou na fase 2 do meu plano, que basicamente consiste em aumentar a minha renda passiva, pois justamente estou numa fase onde finalizei a construção atual, queimando todo o capital destinado a esta obra, e estou pacientemente aguardando que estas unidades sejam vendidas, para que eu receba o dinheiro investido neste empreendimento, acrescido da minha margem de lucro.

E, durante esta fase 2, de aumentar a renda passiva, eu tenho que dizer que encontrei nos Fundos Imobiliários (FIIs) uma forma menos arriscada do que as Ações, e que junto com a Renda Fixa irá me propiciar atingir o meu segundo objetivo.

E estou prestes a alcançar números consideráveis de renda passiva, considerando a manutenção de minha atual rentabilidade nos FIIs: 1,03% ao mês (desconsiderando variação de preço de cotas), pelo aporte que detalharei melhor abaixo:

Como vocês sabem, com a crise atual do mercado imobiliário e de toda a economia, eu decidi por dar uma breve pausa em meus investimentos imobiliários (compra de lote e construção) e aportar mais, com o objetivo deste aumento de renda passiva mensal.

Por este motivo, fiz algo que prego o contrário no blog, que é o Girar Patrimônio, e vendi um dos lotes que eu havia comprado em meados de 2011, se não me falha a memória, recebendo uma parte em dinheiro, e um veículo, que aqui no blog chamei de “Carro Supérfluo”.

Este veículo foi vendido nesta semana (felizmente), logicamente não no preço da Tabela Fipe que eu considerava no meu patrimônio (também já explicado, para ter números reais, precisamos ter uma base sólida / fundamentada), mas num valor que ajudará muito a realizar um aporte considerável ...

Sabe aquele dinheiro que você recebe e que não muda nada na sua vida? Pois é, este aporte aproximado de R$ 40.000,00 é de um dinheiro que não preciso para o curto prazo, mas que preciso da renda passiva que será gerada por ele.


Sim amigos, aportarei R$ 40.000,00, aporte de gente grande!

Agora, a pergunta do milhão, ou rumo ao milhão é: Onde aplicar este montante, afim de aumentar a renda passiva mensal e continuar contribuindo para o efeito dos juros compostos sobre meu capital líquido?

A primeira coisa que me veio a mente, foi iniciar meus investimentos no Tesouro Direto, onde pensei logo em NTN-B 2050 c/ Juros Semestrais.

O objetivo: Gerar renda passiva a cada 3 meses. Como? Comprando NTN-B 2050 (ano par) e 2045 (ano ímpar). Como os pagamentos são feitos em meses distintos, eu receberia a cada 3 meses, bastando dividir o aporte em R$ 20.000,00 + R$ 20.000,00.

Como citei, este é um dinheiro que tem como único fim a geração de renda passiva, e não precisarei dele neste momento, ou seja, por isto vencimentos tão longos.

O problema: Considerando a atual situação econômica, é bem provável que haja uma redução da taxa Selic nos próximos meses, o que acarretaria em perda (momentânea) dos valores dos títulos do TD, ou seja, investir agora é realmente saber que somente o dinheiro dos cupons será reaproveitado.

Fiz uma simulação no TD (simulei R$ 40.000,00 a uma taxa de 6,35% + IPCA, vencimento em 2050, com taxa da corretora de 0,10% ao ano (falarei sobre isto também neste post), e considerando uma inflação de 8%.

O resultado foi:

Bom, para este momento, aumentar a renda passiva em R$ 173,00 não parece tão animador ... A poupança, rendendo em média 0,67% ou R$ 268,00 ...

LCI, LCA, CDB ... Recebi boas dicas dos colegas de blog, mas ainda não é a hora ...

Aí me lembrei do meu novo plano simples de aumentar a renda passiva, basicamente aportando fortemente e a cada mês realizando uma atividade de investimento que eu apelidei de “encher o pote”, de cada FII que tenho (tenho 29), que consistirá em deixar todos eles, em média com R$ 5.000,00 do meu dinheiro investido.

Bom, ou seja, a decisão escolhida foi ... Aportar este valor nos FIIs.



Nota: A imagem acima é apenas ilustrativa, não tenho todos os FIIs da imagem.

Se eu continuar falando tão bem e aportando tão forte em Fundos Imobiliários, acabarei alterando meu nome para “Viver de Fundos Imobiliários”.

São vários os benefícios que eu vejo na compra dos FIIs, inclusive o de combater o nosso principal inimigo rumo ao milhão, que é a Inflação.



Com a renovação de contratos na base do IGPM ou IPCA, isto significa que ao longo do tempo, mantendo-se os bons fundamentos dos FIIs que você comprar, a tendência é que seu dinheiro (renda passiva) vá aumentando, basta verificar o FCO de cada fundo e verificar os mesmos crescentes desde o ano de fundação dos FIIs.

Quero contar também um sentimento meu, que já tive um dos meus imóveis alugados: Eu recebia cerca de R$ 1.200,00 por mês de aluguéis, mas, devido a esta renda adicional de aluguel, declarada pela imobiliária e por mim (se eu não declarasse, cairia na malha fina da Receita Federal), eu pagava em torno de R$ 3.400,00 de imposto de renda, ou seja, eu perdia praticamente 3 meses de aluguel líquido, para ter meu imóvel alugado ...

Nem vou citar ITBI, Escritura, e demais taxas necessárias, motivo este que me deixou confortável ao investir em FIIs, mesmo sabendo que se a Selic subir, é um abraço: Preço das cotas cairá, pois os investidores movem seu capital para a Renda Fixa.

Ainda não defini como dividirei este capital nos FIIs que tenho, o que posso dizer é que este aporte adiantará em pelo menos 6 meses a minha estratégia anterior de aportar R$ 7.000,00 por mês (desconsiderando reinvestimentos), durante o próximo ano, e com isto tenho uma perspectiva muito boa de aumentar a minha renda passiva de FIIs de atuais R$ 700,00 para algo em torno de R$ 1.030,00 a R$ 1.080,00!

Vejam bem, estou prestes a ultrapassar a barreira de R$ 1.000,00 em renda passiva mensal, com os investimentos que fiz, iniciados em Julho de 2015, o que me deixa extremamente feliz e satisfeito.

O que acontecerá daqui a 4 anos, eu não sei, mas o que sei neste momento é que estou fazendo o que considero correto para ter a minha Liberdade Financeira em breve.

As cotas podem cair e eu perder 50% do meu patrimônio investido em Fundos Imobiliários? Pode sim.

Mas ... Os prédios estarão lá, mesmo que vazios ...

Os galpões estarão lá, mesmo que sem inquilinos ...

Os FIIs de papel podem derreter sim, por isto atualmente invisto em 3 apenas, com destaque ao FEXC11B ... (Inclusive falando disto, haverá nova emissão de cotas de VRTA11, provavelmente eu participarei p/ não ser diluído, logicamente adquirindo cotas num preço inferior ao da cotação atual), e “encherei o pote” de XPGA11.

Mas, sempre lembrando, que 50% do meu patrimônio sempre estará imobilizado, pois, no pior dos cenários, eu estarei acima de R$ 500.000,00 de patrimônio, o que auxilia a subida patrimonial, usufruindo da Renda Fixa e Construções.

Este aporte será direcionado para FIIs mais consistentes, mesmo que com menor rentabilidade, ou seja, boa parte redirecionarei para agências bancárias, aumentando posição em Agências Caixa, Santander, Banco do Brasil e Mercantil do Brasil (sim, você leu certo: Eu aumentarei posição em Mercantil do Brasil, pois gostei da última revisão do contrato feito por eles, mesmo c/ a redução aplicada, e principalmente por terem um imóvel que poderá ser vendido e gerar algum lucro a mais na minha posição).


No restante, ainda vou analisar, que é a parte mais gostosa dos investimentos, basicamente a minha base de “Melhores FIIs” eu já tenho (minha análise), e verificarei agora qual poderá receber este aporte considerável.

Sobre os próximos 4 anos, espero continuar aqui, postando a minha estratégia e aumentando meu patrimônio ... E vivendo, claro.

Uma das coisas que me preocupa em ter um blog é justamente ver que outros colegas que tinham simplesmente abandonaram, alguns sem nem mesmo deixar uma mensagem de adeus, outros foram mais radicais e deletaram os blogs ... Papo para outro post.

Voltando no post que fiz sobre Redução de Custos, optei por uma mudança:

Como contei nos últimos posts, a corretora onde aplico meu dinheiro esta encerrando atividades de corretagem, e me migrariam para a Guide Investimentos.

Fiz uma pesquisa mais detalhada, e optei por ser migrado para a corretora Socopa, pois dois motivos: Não cobra corretagem de FIIs (paraíso para mim), e no TD a taxa anual é de 0,10%.

Um breve resumo dos demais tópicos do blog:

No aspecto Saúde, aproveitarei a promoção de uma Academia próximo a minha casa, cuja mensalidade esta em R$ 70,00 (era R$ 100,00). Vou aderir na próxima semana, se estiver melhor da última lesão causada pelo futebol.

Somente com o futebol (2 vezes na semana), eu gasto R$ 150,00, e sempre estou me machucando, então, vou simplificar a minha vida, fazendo academia ...

No aspecto Obra, nesta semana eu estive na Receita, como citei no último post, entreguei a documentação, obtendo a CND, e já solicitei a Averbação no Registro de Imóveis. Agora, basta ir buscar o Registro da Averbação e claro, esperar a venda das casas.

A venda do Carro Supérfluo me tirou mais um problema a ser resolvido, excelente.



Com este aporte de R$ 40.000,00 e pouco, as próximas duas semanas terei pouco dinheiro, não mais que R$ 1.000,00 em Poupança, por isto no próximo mês de Maio o meu Aporte será reduzido, não deve passar de R$ 3.000,00 (dos R$ 7.000,00) combinados.

fAlém disto, minha renda com os Projetos Digitais, que foi excelente neste mês, reduziu agora ao final do mês, e deve começar a engrenar de novo no início do próximo mês.

Ainda não é fechamento do mês, mas, já obtive mais de R$ 1.000,00 nesta modalidade, no mês! Deixarei o valor exato p/ o post de Fechamento Mensal de Abril 2016.

Um grande abraço a todos e excelente final de semana!

VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO (e um pouquinho de FIIs)

24 comentários:

  1. Acho que fez uma boa escolha em investir nos fundos imobiliários.... Estou meio descrente com os títulos públicos.... É taxa demais, imposto...o bom dos fundos é receber os rendimentos livre de impostos... Não sabemos até quando vai ter essa isenção. Espero que não tributem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Beto.

      Tomara que assim permaneçam: Sem taxas / impostos ... Que não apareça um Jucá lá em Brasília para nos prejudicar.

      O ruim do TD c/ cupons semestrais é saber que a cada parcela recebida será tributado ...

      Até o momento, resultados satisfatórios com FIIs, independente da subida que ocorreu desde Fevereiro.

      Abraço

      Excluir
  2. Também concordo que deveria comprar FII, porque se encaixa melhor mesmo no seu perfil de investimentos.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá DH!

      Pois é, até o momento, tudo certo com os FIIs, pois, além de aumentarem a minha renda gradativamente, ainda estou no "positivo" em relação ao dinheiro que investi do meu bolso, ou seja, o melhor dos cenários.

      Estamos em crise, confio muito que ao sairmos dela os aluguéis continuarão crescentes, os FIIs com vacância voltarão a estar 100% ocupados, e eu venderei as minhas casas também para começar nova obra.

      Abraço

      Excluir
  3. Fala chefe! Montei uma carteira de fiis. Tenho uns 20 mas nunca comprei nenhum. Estava pensando simplesmente em comprar o FIXX11 mas desisti. melhor comprar uns 5 fundos gigantes e ficar por isso mesmo, tipo o BRCR, o HGBS, o FFCI, o KNRI. Desses eu gosto. O resto nao confio muito. Nao vejo muita transparência. A taxação do IR em fii é quase certa num futuro próximo. Se esses 1000 por mes nao vai te tirar do lugar pq nao comprar ntnb principal 2024 e 2035? abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Fs,

      Este aumento de renda, de 700 passivo para 1000 ira acelerar consideravelmente o processo de IF, contando com o reinvestimento dos mesmos + aporte.

      Parece pouco, mas ao longo do tempo e uma ajuda e tanto, faca os calculos para voce ver a diferenca brutal num periodo de 5, 10 e 20 anos.

      A transparencia dos FIIs e um problema mesmo, mas e aquele negocio: Ou voce embarca neles sabendo disto, ou fica de fora buscando outras formas.

      Eu particularmente ja tive imovel alugado e olho muito o yield que os FIIs proporcionam, e digo que ate o momento eles ganham de goleada do montante investido / aluguel que eu tinha, apesar de ter uma base curta em FIIs, menos de 1 ano.

      Sobre as famosas NTNB, 2024 e 2035 estao muito longe pra mim... Ja sao 10 anos nesta luta pela IF, apesar que agora comecei a controlar e participar nos blogs, e, o que eu preciso mesmo e de fluxo de renda mensal, para aguentar os periodos de imovel pronto sem venda, como agora.

      O que aumenta meu capital mesmo sao as minhas obras, entao NTNB servira como instrumento de gerar renda passiva cobrindo a inflacao, na minha aposentadoria.

      Sobre q taxacao: E um grande risco, mas, se ocorrer, provavelmente manterei o valor investido, visto que os FIIs continuarao gerando renda, mesmo que reduzidas dos impostos.

      Abraco

      Excluir
  4. Só um adendo, VC.

    Colocando em TD 6,35% + IPCA realmente parece pouco o retorno semestral que vai ter. Mas tem uma 'pegadinha' positiva: esse retorno é líquido, ok?

    Você compra um título, e todo santo mês ele vai ser reajustado pela inflação, de modo que você SEMPRE irá manter aquele seu investimento.

    Então, recebe um plus de 6,35% totalmente livre, pronto para ser usado para pagar suas contas e botar comida na mesa. No futuro, é ele que vamos usar, e sem peso na consciência, pois o principal está sendo reajustado.

    Já em LCI, LCA, CDB, FIIs...CUIDADO! Vai ganhar mais? Vai! Mas não pode usar tudo que vai render, pois senão teu principal vai ser corroído !

    Claro, reza a lenda que ações e imóveis se reajustam, o valor da ação/cota, e ultrapassam a inflação no longo prazo, mas não é garantido.

    Vale muito a pena sim meter boa grana em títulos que vencem em 2035 e 2050, pois no futuro vai poder usar os cupons sem peso na consciência algum, já que vai estar tendo seu investimento reajustado, seja lá qual for o cenário inflacionário do país.

    E cuidado com as ilusões momentâneas de CDB, LCI, LCA...são todos papéis curtos, que vencem em poucos anos...eu to aproveitando pra cravar essas taxas de mais de 6% do TD (já peguei 7,5%) por décadas. Historicamente, são taxas altíssimas, caso o país melhore só um pouco (uma hora melhora), podem dar adeus a essas taxas.

    Agora +6% LÍQUIDO em um país estável, de inflação controlada e economia forte (no longo prazo, chuto que uma hora o país vai melhorar), aí esse rendimento vai ser absurdamente alto. Absurdamente mesmo, pois países bem economicamente oferecem 1% ou menos a.a, bruto, na renda fixa.

    Minha dica: aproveitem essas taxas, cravem e arrastem por décadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Assalariado,

      Belíssima análise. Você tem total razão, principalmente no que tange ao uso dos valores recebidos no FII, se eu usar tudo, faz todo sentido, meu dinheiro estará sendo corroído pela inflação mesmo.

      A ideia de manter a grana nos FIIs agora é justamente aumentar a renda passiva mensal para Reinvestimento, ou seja, não tenho pretensão de consumir este valor agora, então penso que neste início da formação da bola de neve dos juros compostos, aplicar em FIIs terá uma maior contribuição para este momento específico.

      Você que comprou a 7,5%, pegou o melhor momento mesmo ... Eu não tinha capital p/ aportar quando chegou nos 7,5%.

      A tendência ao longo do meu plano é ir aportando no TD c/ cupom semestral sim, mas, com este aporte maior, vou de FIIs mesmo, mas acompanhando de perto o TD!

      6% Líquido é muita coisa mesmo!!!

      Abraço

      Excluir
  5. VDC,

    Acho que os FIIs são mais bacanas pro teu perfil mesmo ... outra, se esse país entrar nos trilhos, essa selic deve demorar a um dia voltar a esse patamar, vai ter FIIs rendendo um bom yield por muitos anos ..

    Claro que se o pais descambar de vez... aí danou-se.. mas .. tá na chuva é pra se molhar .. acho que foi uma boa decisão ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rodolfo,

      Depois de muito pensar, e sua análise também teve excelente contribuição, para este aporte maior, vou de FIIs mesmo.

      Estarei de olho no TD, que fará parte da minha estratégia com certeza, mas preferirei aderir um pouco mais a frente, meu foco agora esta em gerar mais renda passiva e aumentar minha bola de neve de juros compostos.

      Abraço

      Excluir
  6. VDC! te acompanho a muito tempo meu amigo, poderia me dar aquela moral básica e colocar meu blog na sua lista? Desde já agradeço muito amigo!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola SG.

      Seu blog ainda esta bem novo, apenas um post.

      Assim que publicar mais textos, me alerte aqui, que lhe adicionarei com certeza, alem de seguir sua historia.

      Abraco

      Excluir
    2. Ae! Gostei do nome do blog do cara! Sonho Grande!

      Eu li o livro! mt bom!

      Excluir
  7. Olá VDC

    Vc já pensou em abrir uma empresa de material de construção? Com ela, vc consegue comprar materiais mais barato e tbem vc pode "sonegar" o imposto dos seus alugueis, sendo tributado bem menos do q vc está sendo agora. Acho q o imposto para PJ no simples está em torno de 5%, seria uma boa não?

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IX, tudo bom?

      Eu cheguei a ter uma reunião c/ a minha contadora, perguntando e analisando justamente se a abertura de uma firma (CNPJ) me ajudaria na redução dos impostos à pagar, na construção civil.

      A resposta foi incrivelmente não: Como Pessoa Física, os impostos que eu pago são menores.

      A abertura de uma empresa traria uma série de preocupações, impostos, taxas, e agora estou tentando manter minha vida pessoal e financeira a mais simples possível.

      Nos locais que eu compro os materiais, como já sou “conhecido” e pago à vista, consigo negociar bons descontos.

      Talvez quem é PJ consiga lucrar mais comprando uma quantidade maior, no meu caso, mesmo sendo PJ eu continuaria comprando menores quantidades que grandes e médios construtores, então não vejo ganhos fazendo isto.

      De qualquer forma, pode sim ser uma estratégia p/ quem esta construindo prédios maiores (ao invés de casas como eu), agradeço enormemente sua valiosa dica.

      Um abraço amigo

      Excluir
  8. Concordo com os colegas. Apesar de os Fiis futuramente serem taxados, esteja preparado para uma queda de no mínimo 20% no primeiro instante.

    Talvez você esteja mais preparado para um aporte grande em Fiis (por já gostar muito deste ramo de imóveis) que em TD.

    E você já está preparado em "aposentar com Fiis".

    Outro ponto é estar preparado psicologicamente com a RV. Pois uma hora seu patrimônio irá subir muito e na outra cair muito. Não é fácil alcançar a IF muito menos alcançar a IF no modo automático. Temos sempre que estar preparado para um outro lado da moeda, mesmo que seja momentâneo.

    Lembra o que aconteceu quando os Fiis caíram com a fala do Jucá e quando o banqueiro André Esteves foi preso? Desespero total e meses atras muitos leitores do Tetzner jogando a toalha e migrando para o arroz com feijão. Hj a maioria estão sorridentes novamente rs

    Grande abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá II!

      Eu já demonstrei a não afinidade com ações: Comprei 4 excelentes ações, mas optei por desfazer posição no dia seguinte e aportar nos FIIs.

      Da minha estratégia de enriquecimento, ações não farão parte, ainda que historicamente elas sejam consideradas o melhor investimento para aumento de capital.

      Na minha atual situação, como não estou começando do zero, acho que posso ter de mais arriscado os FIIs mesmo, e em breve começarei a aportar em Renda Fixa (ainda resta definir como farei isto).

      Sobre a queda dos FIIs: Algo que ninguém comentou, é que a taxação se daria sobre fundos novos criados, e não sobre os anteriores (ou seja, quem estava comprado, continuaria recebendo os valores sem taxação).

      Eu mesmo fui um que ficou num baita pessimismo, inclusive fiquei 2 meses sem aportar, resgatando os aluguéis, mas consegui domar o meu cérebro de perdedor e manter a estratégia.

      Engraçado que o pior dia para mim foi justamente o dia que o BRCR, que eu tinha maior investimento, atingiu o menor valor de cotações, foi neste dia que eu quase vendi no pânico, assumindo um prejuízo e dizendo a mim mesmo “nunca mais entrarei em ações”.

      Felizmente consegui seguir o plano, e acredito estar mais preparado para estas derrocadas, claro, mantendo-se os aluguéis que recebo, e que ultrapassarão o valor de R$ 1.000,00 com este aporte de R$ 40.000,00.

      Isto me deixará mais tranquilo para começar a aportar na Renda Fixa, pois a renda passiva aumentou muito nos FIIs com este aporte e ultrapassou uma importante barreira: R$ 1.000,00.

      O problema do investidor é este que você disse: Quando esta caindo, todo mundo vende no pânico (ao invés de estar comprando, acumulando). Quando tudo sobe, todo mundo fica feliz e comprando mais caro...

      Abraço

      Excluir
  9. Em momentos como o de agora qd tudo subiu mt eu coloco parte do dinheiro em LFT, para no proximo ciclo de oportuniades ter mais dinheiro disponivel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Uo,

      Para o seu perfil, acertadíssima a decisão.

      No meu caso, se por exemplo os FIIs caiam 10% no próximo mês, eu teria somente o aporte mensal mesmo p/ as compras.

      Eu estou seguindo a metodologia de comprar a qualquer preço, bem Bastter mesmo, mas que no momento melhor se aplica a mim.

      Abraço

      Excluir
  10. Cara, se a Selic cai os Títulos já comprados(exceto o selic) valorizam. Eu tenho umas NTNB-2035 só para especulação, faça o teste no simulador para vc ver. De qql forma, acho que FIIS são melhores, só tenho TD por diversificação. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá RL,

      Esta certíssimo em ter TD para diversificar! Eu também obrigatoriamente terei que comprar, mas, enquanto minhas casas não são vendidas e eu estou dedicado exclusivamente a aumentar a renda passiva, buscarei nos FIIs este aumento de renda passiva, distribuindo o aporte em vários ativos.

      Quando tiver um montante maior, comprarei também TD, principalmente os mais longos, sabendo que estarei comprando na verdade a renda passiva semestral deles.

      Com a queda da Selic estes títulos disparam, mas, para quem vai levar até o final (sem fazer trade), esta variação não importa tanto assim.

      Abraço

      Excluir
  11. VDC faz um post aí LCI LCA TDS , de como identificar vantagens nele ex quando uma LCI tem rendimentos mais vantajosos que o TD..

    ResponderExcluir

Obrigado pela presença! Aprovarei rapidamente seu comentário e responderei brevemente! Grande abraço, VDC - Viver de Construção

Pesquisar no Blog ...

Postagens Populares